domingo, 29 de março de 2009

Confissão

Já depois do meu Pai partir, encontrei esta "Confissão" escrita pelas suas mãos em 1990:

Eu amo as noites brancas de luar,
e as tardes de Sol, silenciosas,
eu amo as estrelas luminosas,
e as ondas que a areia vem beijar...

Eu amo a inclemente voz do mar,
e o murmúrio das fontes caprichosas,
eu amo o subtil odor das rosas,
e das aves também amo o gorgear.

A tudo o que na terra é puro e belo,
eu quero com carinho e com desvelo,
eu amo com profundo e'stranho ardor

mas ouvi - esposa e filhas - meu segredo,
vós sois o meu sonho terno e ledo,
vós sois o meu grande e lindo amor.

4 comentários:

Marina disse...

um belissimo poema de amor...

deliciosas férias disse...

Mili
Ainda bem que encontraste esse poema. Fico feliz.
Beijinhos

Art&Tal disse...

parabens pelo pai :)

bom...

acho que vou levar os meus segredos.

mili disse...

Marina

deliciosas férias

Art&Tal

Obrigada pelas vossas palavras