quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Dia sem Sol







Quando de manhã abri a janela , com o nevoeiro que estava, quase não via os prédios em frente.

Continuou assim, todo o dia, sendo o ar frio e húmido. Muito desconfortável.

Estas fotos foram tiradas, mais ou menos às 9H00, 15H30 e 17H30 (09 Dezembro 09)



6 comentários:

mendogas disse...

Nem rei nem lei, nem paz nem guerra,
define com perfil e ser
este fulgor baço da terra
que é Portugal a entristecer –
brilho sem luz e sem arder,
como o que o fogo-fátuo encerra.


Ninguém sabe que coisa quere.
Ninguém conhece que alma tem,
nem o que é mal nem o que é bem.
(Que ância distante perto chora?)
Tudo é incerto e derradeiro.
Tudo é disperso, nada é inteiro.
Ó Portugal, hoje és nevoeiro...

F Pessoa

Um beijinho Amiga

mili disse...

Mendogas
Obrigada por me dares a ler um poema tão bonito, cujo final está ligado ao que vi e registei.
Beijinhos

Marina disse...

O nevoeiro também tem a sua beleza...
Eu gosto de brumas fresquinhas

:)

mili disse...

Marina
:)
beijinhos

marina-venezia disse...

Nevoeiro em Veneza? Ainda não fui nessa época...

mili disse...

... mas um dia irás!